LISTA DE ARRAIAIS NA MADEIRA DE JUNHO A SETEMBRO DE 2014

large_A05151FE-81F8-474F-9242EDBF3D2FAFF8jpg

Quando visitar a Madeira nesta altura certifique-se de que consultou toda a nossa lista de arraiais de Junho a Setembro e venha celebrar connosco uma das muitas festas que se celebram por toda a ilha.
Conviva com os simpáticos madeirenses, junte-se à festa, experimente a tradicional Espetada madeirense em pau de louro e o bolo do caco, um pão típico da Madeira, e também, o vinho madeira e a poncha da região.
As celebrações são impressionantes e muitas das igrejas continuam ainda as tradições das procissões, dos tapetes de flores, iluminações de rua e da igreja, bandeiras colorida, tudo isto seguido duma celebração com música tradicional e gastronomia regional.

Os dois principais arraiais da ilha são o de Nossa Senhora do Monte e o do Senhor Bom Jesus na Ponta Delgada. Ambos atraem milhares de visitantes de todo o mundo.

Santa Cruz – festas do concelho- 22 a 26 Junho

Lamaceiros – Porto Moniz -28 e 29 de Junho

Ribeira Brava – Arraial de S Pedro-28 e 29 de Junho

Ribeira Brava – Festa do Santíssimo Sacramento- 1 de Julho

Água de Pena – Machico- 1 e 2 de Julho

Santana – 24 h a bailar -11 a 13 Julho

Santa Cruz- Festa do Senhor -14 e 15 de Julho

Festa Nossa Senhora do Carmo – Camara de Lobos 16 de Julho

XIV Mostra Regional da Ponta do Sol  Madalena do Mar – 19 e 20 Julho

Festa do Senhor – Santa Cruz  20 Julho

Festa da Lapa – Paul do Mar 18 a 20 de Julho

Festa Santa Maria Madalena – Porto Moniz -21 e 22 de Julho

Festa de Santa Ana- Santana 27 Julho

Nossa Senhora da Paz – São Vicente 27 Julho

Festa Santa Maria Madalena – Madalena do Mar 31 de Julho

Semana Gastronomica Machico 1 a 3 de Agosto

Nossa Senhora da Saude – Sao Vicente 1 a 3 de Agosto

Nossa Senhora da Piedade- Canhas 3 Agosto

Festa Nossa Senhora das Neves -Prazeres- 5 Agosto

Santissimo Sacramento Canhas 10 Agosto

Semana Gastronomica Caniço 11 a 17 de Agosto

Nossa Senhora do Monte 15 Agosto

Nossa Senhora do Livramento – Curral das Freiras 17 Agosto

Festa do Senhor e Festa da Semana -Sao Vicente 29 a 31 Agosto

Festa do Senhor Camacha 31 Agosto

Festa da Ponta Delgada 1 e 2 Setembro

Festa Faja do Penedo- Boaventura 6 e 7 Setembro

Senhor do Bom Jesus – Ponta Delgada 7 Setembro

Nossa Senhora da Conceição -Ribeira Brava 7 e 8 Setembro

Nossa Senhora da Luz- Padroeira – Ponta do Sol 8 Setembro

Nossa Senhora da Natividade – Faial 13 e 14 Setembro

Nossa Senhora Remedios – Quinta Grande 14 Setembro

Santissimo Sacramento – Ponta do Sol 15 Setembro

Festa do Santissimo – Faial 20 e 21 Setembro

Festa do Pero- Ponta do Pargo 20 e 21 Setembro

Nossa Senhora da Piedade – Curral das Freiras – 21 Setembro

Santissimo Sacramento – Santana 27 e 28 Setembro

 

 

 

Páscoa

index

A páscoa começou a ser celebrada pelos primeiros cristãos, que se comemorava a ressurreição de Jesus Cristo. A sua comemoração era sempre realizada no domingo seguinte a lua cheia que marca o início da Primavera. Uma semana antes da Páscoa o povo português tem a tradição de jogar o jogo do “Balamento”, um jogo entre duas pessoas onde o amigo/a ou familiar  pronunciar em voz alta a palavra “balamento” ganha um ponto, e assim sendo quem obter mais pontos ganha o jogo, e quem perder têm de oferecer um saco de amêndoas ou um ovo de chocolate. Este jogo também demonstra alegria, convivência e união.

A maioria do povo da Madeira é cristã e festeja a Páscoa com vários pratos típicos da região nesta época religiosa, como sabemos a nossa Ilha é rica em doçaria e nesta época tão comemorativa podemos nos deliciar com os torrões de açúcar com frutas, as amêndoas e os ovinhos de chocolate entre outros. Em todas as freguesias da nossa Ilha a ementa para este dia de celebração são todas semelhantes estas são: Inhame, semilhas e peixe na Sexta-Feira Santa que é o dia em que não podemos comer carne, têm também o guisado de cabrito ou a galinha.

Trail Running

files

 

 

 

 

 

 

 

Conceito de TRAIL RUNNING

O Trail Running é um tipo de corrida na montanha que consiste essencialmente em correr trilhos técnicos, zonas montanhosas com grandes declives, subidas de pequenos riachos, com fundos rochosos e com pouca água, subida de pedras, entre outros tipos de piso com terrenos acidentados, preferencialmente inacessíveis de qualquer outra forma que não seja a pé. Esta atividade é caracterizada por possuir grandes desníveis e elevada dureza. Pode ser realizado na montanha, mas também em meio urbano (Urban Trail Running). Normalmente são provas longas e o facto de serem feitas em corrida lenta, devido à dureza, muitos atletas tem que ser portadores de uma mochila ou de bidons, para transportar consigo água e/ou suplementos alimentares, bem como outros objetos que possam ser necessários a esta prática, como o GPS, bastões, entre outros.

Este desporto está em crescimento em todo o Mundo e principalmente em Portugal, que vêm-se notando uma grande adesão a esta modalidade nos últimos anos, fruto de alguns grandes atletas nacionais que se destacaram a nível mundial gerando uma grande curiosidade nos portugueses.

TRAIL RUNNING em Portugal

Calendário de provas

Para consultar o calendário completo das provas de trail running a realizar em Portugal, visite o site da ATRP – Associação de Trail Running de Portugal.

Classificação

É atribuída a nível geral (masculino e feminino), escalões e equipas.

 

TRAIL RUNNING na Madeira

O ano 2013, foi o ano promissor para Trail Running na Madeira. As 7 provas agendadas no início desse ano foram integralmente realizadas e nas datas previstas, revelando o empenho dos clubes organizadores: Ludens Clube de Machico, Clube de Montanha do Funchal, Clube Aventura da Madeira, ADC Jardim da Serra e ACR Estreito.

Calendário das Provas 2014

  • 12 de Abril – 6ª edição – Madeira Island Ultra Trail – Clube de Montanha do Funchal
  • 18 de Maio – II Trail Funchal 2014 – Clube Aventura da Madeira
  • 22 de Junho – II Trail de Machico – Ludens Clube de Machico
  • 20 de Julho – II Trail do Porto Moniz – Clube de Montanha do Funchal
  • 07 de Setembro – III Trail Santana Madeira Biosfera – Clube Aventura da Madeira
  • 16 de Novembro – II Trail de Câmara de Lobos – Associação Cultural e Recreativa do Estreito e Associação Cultural e Desportiva do Jardim da Serra

Escalões

Masculinos:
MSub 23- 18 a 23 anos
MSeniores – 24 a 39 anos
M40 – 40 a 44 anos
M45 – 45 a 49 anos
M50 – 50 a 54 anos
M55 – 55 a 59 anos
M60 – mais de 60 anos

Femininos:
FSub 23- 18 a 23 anos
FSeniores – 24 a 39 anos
F40 – 40 a 44 anos
F45 – 45 a 49 anos
F50 – 50 a 54 anos
F55 – 55 a 59 anos
F60 – mais de 60 anos

Categorias

  • O Trail Running tem três categorias, sendo estas diferenciadas pelas distâncias das provas, assim temos:
  • Trail Curto- até 21,0975Km (até distância de meia maratona)
  • Trail Longo- de 21,0975Km até 42,195Km (de distância de meia maratona até distância de maratona)
  • Ultra Trail- Constituído por provas acima de 42,195 Km (acima de distância de maratona).

Nota: No caso de uma prova por etapas, considera-se a prova como sendo de Ultra Trail, se pelo menos uma das etapas cumprir esse requisito. Caso contrário será considerada uma prova de Trail.

Equipamento necessário

Para a prática desta modalidade é necessário o seguinte equipamento:
● Sapatilhas de Trail
● Mochila
● Manta térmica
● Apito
● Corta-vento
● Copo para líquidos
● Telemóvel
Nota: Existe lojas online que vendem exclusivamente equipamento de trail running.

Une Famille Formidable


Une Famille Formidable é uma série de comédia de grande sucesso francesa, com mais de 20 anos, e que continua a fazer furor no seu país, batendo recordes de audiência.

Para a sua 11ª temporada, que estreia brevemente no canal francês TF1, a equipa escolheu gravar algumas cenas na ilha da Madeira. Os concelhos escolhidos foram o Funchal, Santana e Ponta do Sol, por concentrarem algumas das igrejas e quintas mais emblemáticas da região, sendo uma mais-valia para o mercado francês, e um óptimo cartão de visita dos madeirenses, envolvendo assim uma equipa com cerca de 70 profissionais, e ainda 200 cidadãos, que irão fazer de figurinos na série. A produção contará com atores locais, pelo que foram recrutados elementos para as gravações, que terão início no mês de Fevereiro.
A comédia conta a história de uma família que vai acompanhando a evolução do tempo e dos acontecimentos que vão marcando a atualidade, sendo um grande sucesso no país, com audiências entre os 7 e os 12 milhões de telespetadores.

Gastronomia da Madeira

espetada
A gastronomia típica regional da Madeira é bastante variada, mas a cozinha internacional também se encontra amplamente desenvolvida.
» ENTRADAS
Bolo do Caco
Apesar das entradas não serem um ponto altos dos menus madeirenses, é servido habitualmente o tradicional bolo do caco com manteiga de alho. Esta espécie de pão encontra-se com muita facilidade em festas e feiras. Para início de refeição, os madeirenses costumam pedir lapas grelhadas servidas com alho e sumo de limão espremido.
» PRATOS TÍPICOS REGIONAIS
Sopa de Trigo
Sopa caseira madeirense muito apreciada principalmente nos meios rurais. Para a sua confecção são utilizadas diversas variedades de carnes, batatas (= semilhas), batata doce, feijão, cebola e trigo (depois de demolhado).

Bifes de Atum
É habitualmente preparado numa marinada de azeite, alho, sal e oregãos. É servido com milho cozido ou batata cozida, arroz e salada.

Filete de Espada
Os filetes de espada são preparados com sal, alho, pimenta e sumo de limão. São misturados com farinha e ovo batido e fritos em óleo. A banana é cortada no sentido do comprimento e polvilhada, em alguns casos, com açúcar.

» Bacalhau
O pratos de bacalhau são preparados de formas variadas na Madeira. Existe o bacalhau com natas, bacalhau à Braz, à Gomes Sá ou então simplesmente grelhado.

» Espetada
Carne assada em pau de louro sobre carvão quente e acompanhada por bolo do caco e o bom vinho regional. É uma especialidade muito comum nos arraiais madeirenses.

» Carne de vinho e alhos
A carne de vinho e alhos é muito apreciada na Madeira sobretudo na altura do Natal.
A carne de porco aos quadrados é preparada com antecedência (1 a 2 dias) numa marinada de vinagre, alho, pimenta e ervas aromáticas. Depois vai a fritar na própria marinada.

» Milho frito
O milho, depois de cozido, é frito aos quadrados em óleo abundante. É um óptimo acompanhante para a espetada e outros pratos típicos regionais.

» Picado
O picado de carne é fácil de preparar. A carne de vaca é cortada em pequenos quadrados e depois frita em óleo abundante. Pode ser acompanhado de batata frita, arroz ou salada.

» Lapas
As lapas são habitualmente servidas como entrada ou então como mero petisco. É adicionado sumo de limão para ficarem mais saborosas.

» Polvo
O polvo, embora não sendo um prato típico da Madeira, é muito apreciado e consumido na Ilha principalmente nos concelhos com maior actividade piscatória. É servido de várias formas, mas as mais conhecidas são o polvo escabeche e o arroz de polvo.

» Castanhetas
As castanhetas, embora pouco divulgadas na Ilha, são muito apreciadas sobretudo na zona este da Região Autónoma, particularmente na freguesia do Caniçal, concelho de Machico.

FRUTOS TROPICAIS:

-Anona
-Banana
-Mango
-Pera Abacate
-Tabaibo
-Uva
-Tomate Inglês

DOÇARIA REGIONAL:
-Rebuçados de Funcho
-Bolo de mel
-Broas de mel
-Pudim de maracujá
-Queijadas (bolos feitos à base de requeijão, ovos e açúcar)
-Rebuçados de funcho

SUMOS DE FRUTAS EXÓTICAS:
-Ponchilha
-Poncha – confeccionada com aguardente de cana, mel e limão
-Vinho Madeira
-Nikita: bebida doce e refrescante feita com cerveja (ou sumo), gelado e pedaços de ananás.
-Outros Vinhos de Castas Regionais
-Licores tradicionais

História das Desertas

desertas

As Ilhas Desertas constituem um sub arquipélago do arquipélago da Madeira, Portugal de origem vulcânica, situadas a sudeste da Ilha da Madeira. Constituem a Reserva Natural das Ilhas Desertas, classificada também como reserva biogenética pelo Conselho da Europa.
Fazem parte das Ilhas Desertas o Ilhéu Chão, a Deserta Grande e o Bugio. Administrativamente, fazem parte da freguesia de Santa Cruz, concelho de Santa Cruz, Região Autónoma da Madeira.
Desde o século XIV, que estas ilhas já eram conhecidas pelo nome que actualmente têm ou pelo singular de “Ilha Deserta”. Contudo só foram exploradas convenientemente após as primeiras viagens de reconhecimento de João Gonçalves Zarco em 1420/1421 e com a exploração e estabelecimento humano definitivo no Funchal. Tentou-se aqui estabelecer uma colónia portuguesa por diversas vezes, sempre sem qualquer sucesso, dadas as condições agrestes e a secura destas ilhas.
As ilhas foram propriedade privada de duas famílias inglesas da Madeira entre 1894 e 1971 (tal como foram as Ilhas Selvagens), tendo sido compradas então pelo Estado português e convertidas em reserva natural.

História do Porto Santo

porto santo
A ilha do Porto Santo foi descoberta, em 1418, pelos portugueses, João Gonçalves Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo, mais tarde, designado primeiro Capitão Donatário desta ilha.
Alguns anos mais tarde, Cristóvão Colombo, passou algum tempo na ilha, tendo casado com uma das filhas de Bartolomeu Perestrelo.
Doado em 1446 por D. Henrique a Bartolomeu Perestrelo, o Porto Santo foi elevado a concelho em 1835.
Em Agosto de 1996 a sua capital, Vila Baleira, foi elevada à categoria de cidade.
Existem duas teorias na atribuição do topónimo ” Porto Santo” à ilha, semelhantes no acontecimento que originou o nome, mas com dados diferentes relativamente à data e origem dos navegantes.
Conta uma lenda popular que remonta a 1418, que João Gonçalves Zarco e restantes navegadores, ter-lhe-iam dado tal nome pelo facto de a ilha lhes ter servido de refúgio no decurso de uma terrível tempestade.
Já a segunda versão, historicamente sustentada, aponta que, ainda na Baixa Idade Média, uma embarcação teria encontrado porto seguro nesta ilha, depois de uma violenta tempestade. Assim sendo, confirma-se que antes dos portugueses terem iniciado o seu povoamento em 1418, já a ilha tinha sido batizada com o nome de Porto Santo.
Certa é a data que marcou a chegada ao Porto Santo dos portugueses, Zarco e Tristão Vaz Teixeira – 1418. Com essa viagem e nesta ilha marcaram o início dos descobrimentos ultramarinos.
Outro importante dado histórico da ilha, constitui o facto de Cristóvão Colombo nela ter habitado, após o seu casamento com Filipa Moniz, filha de Bartolomeu Perestrelo. Numa casa situada no centro de Vila Baleira, hoje Casa Museu Cristóvão Colombo, o navegador genovês preparou a viagem da Descoberta da América.

História da Ilha da Madeira

images
A Ilha da Madeira foi descoberta em 1419, data que corresponde provavelmente ao início do povoamento. João Gonçalves Zarco foi o comandante da expedição que, ao serviço do Infante D.Henrique, “descobriu” o Porto Santo em 1418 e a Madeira em 1419. Nesta viagem foram companheiros de Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo. Apesar do Porto Santo ter sido descoberto antes da Madeira, a verdade é que foi esta a primeira das ilhas a ser povoada, isto porque a primeira tentativa de povoar o Porto Santo não resultou devido à aridez do solo.
Tristão Vaz Teixeira
A distribuição das terras foi feita por estes três povoadores e as ilhas da Madeira e Porto Santo foram divididas em três capitanias. A vertente sul da Madeira ficou a cargo de João Gonçalves Zarco (1450),a vertente norte coube a Tristão Vaz Teixeira (1440) e a ilha do Porto Santo foi entregue a Bartolomeu Perestrelo (1446).
Bartolomeu Perestrelo
A Madeira foi a primeira ilha a ser efectivamente ocupada por colonos europeus, nomeadamente franceses, italianos, espanhóis, ingleses e flamengos. A população não-nobre provinha do Algarve e do Minho. A ilha oferecia aos povoadores madeira para as casas, para a construção naval e, mais tarde, para exportação. Possuía também água em abundância, aves e peixes, que não tardaram a ser um meio muito importante de subsistência dos colonos. [Montanhas] Para subsistir entre o arvoredo, foi necessário improvisar habitações, desbravar as terras (por meio do fogo), onde em seguida se lançavam as sementes e o gado trazido do continente.

MIUT- Madeira Island Ultra Trail

miut

O MIUT – Madeira Island Ultra Trail irá somar a sua 6.ª edição, de 10 a 13 de abril, com partida no Porto Moniz e meta em Machico. Mas será entre as 00:00 de sábado (dia 12) e as 08:00 de domingo (dia 13) que decorrerão as 4 provas no terreno.

A organização deste evento depende grandemente do v/ contributo, inestimável, o qual, aliás, tem sido sempre, desde a 1ª edição, de uma enorme mais-valia! A envergadura deste evento exige-nos a colaboração voluntariosa, necessária em várias áreas, mas essencialmente nos pontos de controlo, nos quais será efetuado um controlo aos atletas que passam, assim como a distribuição de líquidos e sólidos.

Assim, pedimos encarecidamente a v/ colaboração como voluntários nesta grande atividade que, além de promover a modalidade de trail-running também projeta a imagem da Madeira lá fora. Para isso devem fazer a vossa inscrição no link abaixo, preenchendo todos os campos obrigatórios.

http://madeiraultratrail.info/v/

A organização desde já agradece a todos os interessados e em contrapartida oferece uma t-shirt alusiva ao evento, alimentação, e um almoço convívio com todos os colaboradores do MIUT, no dia 27 de abril, em local a anunciar oportunamente.

Receita do Bolo do Caco

index

O bolo do caco é um pão de trigo típico da região da Madeira que pode ser encontrado tanto na ilha da Madeira como na ilha do Porto Santo. É consumido como entrada, acompanhamento ou como iguaria principal.

Ingredientes:

1 kg de farinha
750 gr de Batatas doces
25 gr de Fermento de padeiro
1 pitada de Sal
Água

Preparação

Descasque as batatas, leve a cozer em água e reduza-as a puré.
Desfaça o fermento num pouco de água (150 ml +-) e adicione também o sal.
Coloque a farinha numa superfície limpa, abra um buraco no meio e coloque a batata doce e o fermento. Deixe a massa fermentar durante 2 a 3 horas.

Divida a massa em pequenas porções e espalme-as (numa superfície polvilhada com farinha). de seguida coza o bolo de caco numa chapa bem quente, de ambos os lados.

Sugestão: Barre com manteiga de alho, salsa picada e e um pouco de sal.